Relatos e dicas de uma esfomeada Vegana em viagem

(click here to read the📍english version )

Mais do que responder às mesmas perguntas vezes sem conta de familiares e amigos sobre o meu défice de proteínas e ferro, que as plantas também têm sentimentos, e se não tenho pena das alfaces, pretendo partilhar aqui contigo os desafios e os privilégios que os viajantes veganos, frequentemente, encontram em viagem.  

É indiscutível que é muito mais fácil ser vegana no conforto da minha casa e na minha cidade onde já conheço todos os mercados, supermercados e lojas, do que em viagem. Principalmente quando aterro num local onde nunca estive e com tempo limitado. Mas isso, por norma, até acaba por trazer excitação e é sempre uma oportunidade para descobrir novos sabores! O “desconhecido” faz parte do encanto e da experiência dos viajantes.

Contudo, em cima desse desconhecimento que se tem quando se viaja para um novo destino, acrescenta-se o facto de que muito poucos são os países que são conhecidos por terem muitas e boas opções veganas. Talvez nos venha logo à cabeça a Índia, mas provavelmente ficamos por aí.

Dito isto, tenho de acrescentar que viajo bastante e nunca passei fome. Viajar sendo vegana não só é possível como também muito interessante!

Conhecimento é poder

Certos países são mais amigos dos vegetarianos/veganos do que outros. Por isso, é sensato fazer uma pesquisa sobre a culinária local antes de partir.

Saber quais são os pratos e ingredientes típicos do país, é bastante importante para além de culturalmente enriquecedor. Em todo o lado há comidas que são naturalmente veganas, ou quase veganas. Tendo esse conhecimento em mãos, vamos saber que pratos pedir e quais os ingredientes que podemos acrescentar, retirar ou substituir.

A verdade é que a Internet e os guias de viagem tornam esta tarefa fácil e rápida.

Planear com antecedência

Quando viajamos de carro, autocarro ou comboio, o ideal é levar farnel para a viagem. Se a viagem for de avião, é importante pedir a refeição quando se compra o bilhete. Até hoje todas as companhias aéreas com quem voei ofereciam refeições veganas nos voos de longa duração sem custo adicional. 

É importante ainda referir que as refeições especiais são sempre servidas primeiro! Mesmo assim, como sou uma pessoa um pouco para o esfomeada, levo sempre comigo montes de lanches como frutos secos, chocolate, barrinhas, sandes, fruta fresca e bolinhas proteicas.

Quando a viagem é para países desenvolvidos, não pode ser mais fácil. A aplicação do HappyCow é espectacular! Basta dizer onde estamos e quantos quilómetros estamos disponíveis para andar e dá-nos uma lista dos restaurantes veganos/vegetarianos por perto. Depois, é só seguir o Google Maps. 

Aqui percebemos o quão sortudos somos por podermos fazer opções éticas até sobre o que comemos, sem grandes problemas.

Contudo, esta não é a realidade em todo o lado. Muitos lugares são bastante complicados, como é o caso de Cuba, um safari no Quénia, a Argentina ou nos desertos da Mongólia. Mas mesmo que à primeira vista pareça que é uma tarefa impossível encontrar algo vegano, é sempre possível.

598352_4270264707805_1431274881_n

Vantagens 

Para quem viaja de mochila às costas, passando ao lado das estâncias, onde os cuidados de higiene são em princípio um pouco semelhantes aos que estamos habituados, existem sempre situações onde as opções são parcas e pouco apetecíveis.

Quando se viaja para países em vias de desenvolvimento e se saí da rota turística em busca de locais mais remotos, as opções onde comer podem ser muito escassas. E é um risco enorme comer uma carne que esteja abandonada às moscas na berma da estrada debaixo do sol ou um marisco num barracão sem electricidade. Parece-me sempre mais encorajador optar por vegetais cozinhados e frutas que podem ser descascadas.

Por outro lado, acabo por ir a sítios que de outra forma nunca iria, pois aquele restaurante turístico localizado na praça central não é opção. Assim, acabo por ser obrigada a falar com pessoas locais, e a explorar bem a culinária de cada país.

Conhecer novas pessoas enriquece qualquer viagem. Muitas já foram as vezes que locais me deram boleia para aquele que consideravam ser o melhor restaurante da sua terra a servir comida vegana ou caminharam comigo até ao local.

Se viajasse de outra forma e não fosse vegana nunca teria descoberto tantos sítios típicos longe das rotas turísticas. Teria perdido imensas oportunidades que me permitiram viver e experienciar cada local de forma mais autêntica.

Na grande maioria das grandes cidade é geralmente muito fácil encontrar comida vegana. Em Los Angeles, New York, Portland, San Francisco, em Londres, Toronto, Tel Aviv, Bengaluru, Chennai, Singapura, Hong Kong, Berlim, e Taipei. Estes são alguns exemplos onde é extremamente fácil tropeçar num bom prato vegano.

O que não dispenso

Independentemente do país que visito, viajo sempre com uma pequena mala de cabine. Por isso, nunca posso levar um canivete ou uma faca comigo, mas é logo uma das primeiras compras que faço. É fundamental ter algo cortante para descascar e cortar frutas e vegetais, e uma colher para comer algumas frutas, como mamão, papaia, kiwi, maracujá… Eu tenho um kit da  To-Go Ware Utensil Set, que contem uma faca, garfo, colher e pauzinhos chineses tudo feito de bamboo, são espectaculares, duradouros, leves e muito práticos.  

Ter uma pequena mochila para quando se anda a passear é essencial. Carregar alguns lanches, não só é uma forma de poupar dinheiro e tempo, mas também de nos mantermos alimentados e saudáveis ao longo de toda a viagem. E claro que não dispenso  a minha garrafa da Vapur, é reutilizável evito as garrafas de plástico e quando está vazia dá para enrolar e não ocupa espaço nenhum, é mesmo excelente para viagens.

Shampoo em barra é outro item essencial. É leve, ocupa pouco espaço, não conta como liquido nos aeroportos e dura muitíssimo tempo.

Para lavar os dentes, levo uma escova e pasta mas também um pauzinhos de miswak. Apesar de não ser nada fã do sabor faço o ‘sacrifício’ quando estou em viagem. Eles são espectaculares, não precisam de água ou pasta dos dentes por isso dá para lavar os dentes em qualquer lado.

Já disse adeus aos pensos higiénicos e tampões à muitos anos, e quando estou em viagem não há excepções. O copo menstrual é muito prático, e leve,  e pode-se ter o copo colocado até a um máximo de 12 horas, por isso a questão da limpeza não é grande problema, pois pode ser sempre feita ao fim do dia quando estamos de volta ao alojamento. 

Ir aos mercados

A ida a mercados não é só um excelente meio de imersão cultural, mas é também um óptimo local para comprar e abastecer com fruta fresca, sandes, vegetais, manteigas de frutos secos, doces, frutos secos…

Aprender a comunicar os básicos

Da experiência que tenho existem sempre opções, umas melhores outras piores, nos restaurantes típicos das localidades. Em alguns países saber falar inglês chega, mas noutros, torna-se imperioso conhecer algumas palavras-chave na língua nativa. É importante memorizá-las ou tê-las escritas num papel para explicar o que queremos.

Regra geral os restaurantes satisfazem os nossos pedidos facilmente. “Quem tem boca vai a Roma”! É importante contudo ser paciente e cortês, pois nem toda a gente sabe o que significa vegano ou vegetariano.

Já perdi a conta dos pratos que vieram com camarões e frango… Por isso, é preciso ser específico e paciente.

Uma vez no Borneo, expliquei bem o que queria. A senhora, muito atenciosa e simpática, disse: “sim, sim sei perfeitamente o que quer, esteja descansada…”. Quando o prato chega, digo: “mas isto tem carne…”. Ao que ela responde, confusa: “isso não é carne.., é frango!” Aqui aprendi mais uma lição: é preciso ser muito específico. Sem carne, sem frango, sem porco, vaca, sem peixe ou marisco, nem camarões!

Outra opção é fazer o passaporte vegano, que contêm palavras e frases em cerca de 80 línguas diferentes. Este livrinho pode ser comprado na página The Vegan Society ou noutros sítios web.

Onde Dormir

Uma boa opção são os albergues/hostels e airbnb que permitem a utilização da cozinha. Ou ficar com locais veganos em couchsurfing. Outra opção, é procurar alojamento 100% vegano. Eles existem, mas são por norma um pouco mais caros.

Segue blogs de viagens veganos

Esta é uma das melhores formas de encontrar informação. É dada por pessoas que estiveram no local para onde vais e, como tu, têm uma dieta vegetal.

Espero que este artigo te deixe um pouco mais relaxado/a se em breve fores embarcar na tua primeira aventura vegana. A realidade é que nada é impossível, muito longe disso. Tudo o que é preciso é um simples processo de preparação, seguir as dicas que aqui dei e as de outros viajantes que já estiveram no país para onde vais.

Resumindo, na prática, verduras, frutas, cereais e leguminosas estão em todo o lado com mais ou menos abundância, diversidade ou acessibilidade. 

Boas viagens e bom apetite 💚🌿🚌 deixa um comentário se tiveres alguma, questão ou se quiseres partilhar algo comentário ou dica.

photography – all rights reserved – Ana Rocha 

📍english version📍

SaveSaveSaveSave

SaveSave

Oatmeal with moringa powder (papas de aveia com moringa)

This recipe of Oatmeal with moringa powder is perfect for you if you are craving a warm and cozy breakfast that’s healthy but also quick and easy to prepare.
This delicious recipe is also a great way to incorporate moringa into your diet.

IMG_5663

  • 2 cups oats
  • 2+1/2 cups any plant milk (or water)
  • 2 tbsp liquid sweetener (agave syrup, maple syrup,..)
  • 1/4 tsp cinnamon
  • 1+1/2 tsp moringa powder (adapt to taste)
  • 1 tbsp chia seeds
  • fresh and dried fruit and nuts to taste.

Pour the milk in a medium saucepan and bring it to boil. Add the oats, sweetener, cinnamon and chia seeds. Cover the saucepan and cook over medium-low heat for about 5 minutes stirring occasionally. When the oats have softened turn the heat off, add the moringa powder and stir.

Put the oatmeal with moringa into 2 bowls and add fresh fruit, nuts, seeds and dried fruits.

PT:
  • 2 canecas de aveia
  • 2+1/2 canecas de leite vegetal (ou água)
  • 2 c. de sopa de adoçante líquido (xarope de ácer, xarope de agave, geleia de arroz..)
  • 1/4 c. de chá de canela
  • 1+1/2 c. de chá de pó de moringa (a gosto)
  • 1 c. de sopa de sementes de chia
  • frutas frescas, secas e nozes a gosto.

Colocar o leite numa panela média e deixe ferver. Adicionar a aveia, adoçante, canela e chia. Cobrir a panela e deixar cozinhar em lume médio-baixo por cerca de 5 minutos mexendo ocasionalmente. Quando a aveia estiver  mole, retirar do lume, adicionar o pó de moringa e envolver. 
Colocar a aveia em duas tigelas e adicionar frutas frescas, nozes, sementes e frutas secas.

Ancient Grains Cookies (Biscoitos de Trigo Sarraceno e chocolate)

IMG_5161

This Ancient Grains Cookies with chocolate are an amazing treat, and a perfect way to incorporate them into your diet, so you can benefit from the health benefits they have.

Ancient grains include the grains buckwheat, oats and chia.

  • 1 cup buckwheat flour
  • 2/3 cup rolled oats
  • 3/4 cup shredded coconut 
  • 1 tsp baking powder
  • 1/2 cup softened coconut oil
  • 3/4 cup coconut sugar
  • 2 tbsp peanut butter
  • 1 tsp vanilla extract
  • 2 chia eggs 
  • ~3 tbsp water
  • 1 tbsp cinnamon 
  • 2 tbsp cocoa powder 
  • 1/2 cup chopped walnuts
 Make the chia egg and let it rest.

Preheat oven – 200ºC, and line a baking sheet with a silicone baking mat or parchment paper. Set a rack to the oven’s middle setting.

In a bowl, combine all the dry ingredients and then add the wet ones mixing it well until well combined.

Drop tablespoonfuls of cookie batter onto a lined baking sheet.

Bake for 10-12 minutes.

Let cool for about 10 minutes to allow cookies to firm up a bit.

PT:
  • 1 caneca de farinha trigo sarraceno
  • 2/3 caneca de aveia
  • 3/4 caneca de coco ralado
  • 1 colher de chá de fermento em pó
  • 1/2 caneca de óleo de côco 
  • 3/4 caneca de açúcar de coco (ou outro)
  • 1 colher de chá de extrato de baunilha
  • 2 colheres de sopa manteiga amendoim
  • 2 ovos de chia
  • ~3 colheres de sopa de água
  • 1 colher de sopa de canela
  • 2 colheres de sopa de cacau em pó
  • 1/2 xícara de nozes picadas

Fazer o ovo de chia e deixar a descansar.

Pré-aquecer o forno a 200°C.

Combinar todos os ingredientes secos primeiro numa taça grande e adicionar os húmidos depois misturando bem. 

Colocar colheradas de massa num tabuleiro com uma folha de silicone ou papel manteiga.

Levar ao forno por 10 a 12 minutos. Deixe arrefecer para que fiquem um pouco mais firmes.

SaveSave

Raw Moringa Bliss Balls (bolinhas de moringa)

When I bought moringa for the first time, the jar sat in my cupboard for a long long time, because I didn’t like the taste, and every time I added it to recipe, I felt that I was ruining the food 🙂 Moringa has an earthy taste, that can be quite strange at first. But what I found is that you’re probably using it in the wrong way.. like I was..

Recently I found an eco-friendly farm that produces organic moringa, and I said to myself that I would give it another chance, and I’m glad I did. Moringa has been used for centuries for its wonderful health benefits and is one of the most concentrated superfoods on the planet, it’s rich in vitamins, minerals, antioxidants, and protein.

This recipe is one my favourites, and with time I will share other great recipes where you can use moringa powder. This one is raw to keep all its nutrients intact.

 

IMG_5730

  • 2tsp Moringa Powder
  • 1/2 cup cashews (soaked overnight )
  • 1/3 cup almonds (soaked overnight )
  • 1 + 1/2 cups shredded coconut
  • 5 tbsp maple syrup
  • 4 tbsp coconut oil
  • a pinch of cinnamon
  • 1/2 tsp almond extract

Chocolate Drizzle:

  • 50g dark chocolate
  • 1 tbsp coconut oil
  • 2 tbsp maple syrup

Soak the nuts overnight.

Drain the nuts and rinse.

Add all the ingredients to the food processor and process on high until creamy.

Roll the mixture into evenly shaped balls. Refrigerate the balls for 30 minutes or until firm.

Gently melt coconut oil and chocolate in a saucepan over low heat or microwave, then add the maple syrup and stir. Using either a spoon or a piping bag drizzle the balls with the melted chocolate, then return to the refrigerator until the chocolate is completely set.

Store in the fridge or freezer in a glass container and enjoy

👉🏽Tips:

* It is advised to add 1/2 to 1 and 1/2 teaspoons of moringa to your daily diet.

* You can get dry moringa powder at health stores, speciality stores, and online.

I recommend the moringa powder from the Eco-Arava farm because is organic and the quality is great. If you want to know more about this nutritious plant, please visit the Eco Arava website.

Eco Arava is an eco-friendly, sustainable, and organic company run by a family of farmers, at the Arava desert. They have a plantation of moringa oleifera trees.  A tree that grows ideally in sandy soil, with a lot of sunlight and not much water.

I hope you like these bliss balls as much as I do! If you make them let me know!

 

***

PT:

Quando comprei moringa pela primeira vez, o frasco ficou esquecido no meu armário durante muito muito tempo, porque não gostei muito do sabor e, cada vez que tentava adicionar a alguma coisa acabava por estragar a comida 🙂 A moringa tem um gosto a terra, que pode ser bastante estranho no inicio. Mas o que eu descobri é que a estava a usar de forma errada 

Recentemente eu encontrei uma quinta ecológica que produz moringa orgânica, e eu disse a mim mesma que  daria outra oportunidade à moringa, e fico feliz por ter feito isso. A moringa é usada há séculos pelos seus benefícios para a saúde e é um dos superalimentos mais concentrados do planeta, é rico em vitaminas, minerais, antioxidantes e proteínas.

Esta receita é uma das minhas favoritas, e com o tempo irei partilhando outras ótimas receitas com pó de moringa.

Nenhum ingrediente nesta receita é cozinhado para manter todos os nutrientes da moringa intactos.

  • 2 colheres de chá Pó de Moringa
  • 1/2 caneca de cajus (demolhados durante a noite)
  • 1/3 caneca de amêndoas (demolhadas durante a noite)
  • 1 e 1/2 caneca de côco ralado
  • 5 colheres de sopa de xarope de acer
  • 4 colheres de sopa de óleo de coco
  • uma pitada de canela
  • 1/2 colher de chá de extrato de amêndoa

Cobertura de chocolate:

  • 50g de chocolate preto
  • 1 colher de sopa de óleo de coco
  • 2 colheres de sopa de xarope de acer

Demolhar os cajus e amêndoas durante a noite.

No dia seguinte escorrer e passar os cajus e amêndoas por água. 

Adicionar todos os ingredientes no processador de alimentos e processar em alta velocidade até ficar cremoso.

Humedecer as mão com água e moldar pequenas bolas com a massa. Colocar no frigorifico por 30 minutos ou até ficarem firmes.

Derreter o óleo de coco e o chocolate numa panela em lume brando ou no microondas, depois adicione o xarope de acer e mexer. Com uma colher ou saco de confeitar decorar as bolinhas com o chocolate derretido. Voltar a colocar as bolinhas no frigorifico até que o chocolate esteja duro.

Armazenar as bolinhas num recipiente de vidro no frigorifico por uma semana ou congelar por alguns meses.

👉🏽Dicas:

* É aconselhável adicionar de 1/2 a 1 e 1/2 colher de chá de moringa na nossa dieta diária. 

* Pode-se comprar moringa seca em pó em lojas especializadas e on-line.
Eu recomendo o pó de moringa da quinta Eco-Arava porque é orgânico e a qualidade é excelente.

Se quiseres saber mais sobre esta nutritiva planta, visite o site Eco Arava.
A Eco Arava é uma empresa ecológica, sustentável e orgânica dirigida por uma família de agricultores, no deserto de Arava. Esta árvore cresce idealmente em solo arenoso, com muita luz solar e pouca água.

Espero que gostem dessas bolinhas energéticas tanto quanto eu! Se experimentares deixa o teu feedback nos comentários. 

SaveSave

SaveSave

SaveSave

SaveSave

SaveSave

SaveSave

Chocolate, Tahini & Almond Cookies (biscoitos de chocolate, tahini e amêndoas)

IMG_5078

  • 100g tahini (sesame butter)
  • 150g ground almonds
  • 100g flour (can be wholemeal)
  • 30g cocoa powder
  • 2 tbsp olive oil
  • flax eggs
  • 1 tbsp baking powder
  • 100g dark sugar
  • water
  • 30g dark chocolate chunks
  • sesame seeds to decorate

Preheat the oven at 180ºC.

Start grounding the almonds in a food processor, then add all the other ingredients less the chocolate chunks and combine well. Add some drops of water until it reaches a cookie dough consistency. Add now the chocolate chunks and involve in the dough.

Take a small amount of dough, roll into a small ball,  flattening the tops slightly and sprinkle some sesame seeds over each ball.

Bake for about 10 to 12 minutes.

PT:

  • 100 g de tahini (manteiga de sementes de sésamo)
  • 150g de amêndoas trituradas 
  • 100g de farinha (pode ser integral)
  • 30g cacau em pó
  • 2 c. sopa azeite 
  • ovos de linhaça
  • 1 colher de sopa de fermento em pó
  • 100g de açúcar mascavado
  • água
  • 30g pedaços de chocolate 
  • sementes de sésamo para decorar

Pré-aquecer o forno a 180ºC.

Num processador de alimentos triturar completamente as amêndoas até que fiquem em farinha. Adicionar todos os outros ingredientes com excepção dos pedaços de chocolate,  à farinha de amêndoa e combinar bem. Adicionar algumas gotas de água até atingir uma consistência de massa de biscoito. Adicionar os pedaços de chocolate à massa e envolver.

Com as mãos moldar  pequenas bolas e colocar num tabuleiro de ir ao forno com um tapete de silicone (tipo Silpats) ou com papel manteiga. Achatar até que tenham o formato desejado e polvilhar com sementes de sésamo.

Levar ao forno por 10 a 12 minutos.

IMG_5077

SaveSave

Tahini & Almond Cookies (biscoitos de tahini e amêndoas)

IMG_5082

  • 150g tahini (sesame butter)
  • 150g ground almonds
  • 150g flour (can be wholemeal)
  • 2 flax eggs
  • 1 tbsp baking powder
  • 100g dark sugar
  • 1 tsp cinnamon
  • water
  • almonds and sesame seeds to decorate

Preheat the oven at 180ºC.

Start grounding the almonds in a food processor, then add all the other ingredientes and combine well. Add some drops of water until it reaches a cookie dough consistency.

Roll into small balls and place on a lined baking tray.

Push whole almonds into the balls and sprinkle with sesame seeds.

Bake for 10-15 minutes.

PT:

  • 150 g de tahini (manteiga de sementes de sésamo)
  • 150g de amêndoas trituradas 
  • 150g de farinha (pode ser integral)
  • 2 ovos de linhaça
  • 1 colher de sopa de fermento em pó
  • 100g de açúcar mascavado
  • 1 colher de chá de canela
  • água
  • Amêndoas e sementes de sésamo para decorar

Pré-aquecer o forno a 180ºC.

Num processador de alimentos triturar completamente as amêndoas até que fiquem em farinha. Adicionar todos os outros ingredientes à farinha de amêndoa e combinar bem. Adicionar algumas gotas de água até atingir uma consistência de massa de biscoito.

Com as mãos moldar  pequenas bolas e colocar num tabuleiro de ir ao forno com um tapete de silicone (tipo Silpats) ou com papel manteiga. Colocar e pressionar uma amêndoas inteira em cima dos biscoitos achatande-os ligeiramente e polvilhar com sementes de sésamo.

Levar ao forno por 10 a 15 minutos.

IMG_5083

SaveSaveSaveSave